Notícias


Feiras

Lenora de Barros

+ Infos sobre Artista

Lenora de Barros

Lenora de Barros

Lenora de Barros

1953, São Paulo, SP , Brasil

Vive e trabalha em São Paulo, Brasil

Download CV

Grande expoente da poesia visual, linguagem cuja origem remonta ao movimento da poesia concreta dos anos 1950, período também marcado pela gênese de uma forte abordagem construtivista e vanguardista na arte brasileira. A prática da artista se iniciou nos anos 1970, como desdobramento dessas fortes correntes das décadas anteriores, onde a palavra e a imagem apresentavam-se como seus materiais primordiais. Desde então, seu foco volta-se para a exploração das possibilidades dos códigos dessas linguagens que ela articula através de diversos suportes, tais como vídeo, performance, fotografia, instalação sonora e a construção de objetos.Formada em linguística pela Universidade de São Paulo.

Dentre suas exposições individuais, destacam-se:

  • Wanted by myself, Galeria George Kargl, Viena, Áustria (2019);
  • SÓ línguas, Galeria Millan, São Paulo, SP (2018);
  • ISSOÉOSSODISSO, Paço das Artes e Oficina Oswald de Andrade, São Paulo, SP (2016);
  • Umas e Outras, PIVÔ, São Paulo, SP, (2014)
  • eNão quero nem ver, Paço Imperial, Rio de Janeiro, RJ (2006).

Entre as coletivas, destacam-se:

  • Samba In The Dark, Anton Kern Gallery, Nova York, Estados Unidos (2020);
  • Mulheres Radicais: arte latinoamericana, 1960-1985, Hammer Museum, Los Angeles, EUA e Pinacoteca de São Paulo, SP (2017 e 2018);
  • 17a, 24a e 30a Bienal de São Paulo, SP (1983, 1998 e 2013);
  • 4a Thessaloniki Biennial of Contemporary Art, Tessalônica, Grécia (2013);
  • 17ª Bienal de Cerveira, Portugal (2013);
  • 11th Biennial of Lyon, Lyon, França (2011)
  • For You, The Daros Latinamerica, Zurique, Suíça (2009)
  • MAM(na)OCA, Museu de Arte Moderna de São Paulo, SP
  • Desidentidad, Institut Valencià d’Art Moderne – Ivam, Valência, Espanha (2006);
  • 5ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre, RS (2005/2009);
  • Visual Poetry, Mexic-Art Museum, Austin, EUA;
  • Diverse Works Foundation, Houston, EUA (2002);
  • Arte e Esporte na Sociedade Contemporânea, Palazzo Arengario, Milão, Itália (2001).

Premiações:

  1. Foi premiada na 1ª Mostra RioArte, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, RJ, com a instalação sonora Deve Haver Nada a Ver, em 2001.
  2. Recebeu, em 2002, a bolsa da Fundação Vitae, São Paulo, SP quando realizou o projeto de livro e cd Para Ver em Voz Alta, e foi indicada à 11a edição do Grants & Commissions Program da Cisneros Fontanals Art Foundation, Miami, EUA (2015).
  3. Também participou como artista-curadora da Radiovisual, 7ª Bienal do Mercosul, Porto Alegre, RS (2009).

Obras em coleções públicas incluem:

  • Museu d’Art Contemporani de Barcelona, Espanha;
  • Daros Latinoamerica, Zurique, Suíça;
  • Museu de Arte Moderna de São Paulo, SP, entre outras instituições.
  • Biografia
  • Exposições
  • Clipping
  • Compartilhar